Teatro de Bonecos no Brasil

por Tiago Almeida
Grupo Girino Teatro de Animação

“A matéria do homem junta-se à matéria do boneco,
para uma transfiguração. A alma do homem dá ao boneco
também uma alma e, nesta pureza, realizam um ato poético.
“Hermilo Borba Filho [1917 - 1977]
Escritor e dramaturgo pernambucano

Histórico

Os primeiros bonecos, que se tem notícia, no “Brasil Colônia”, são bonecos de luva portugueses e espanhóis. No século XIX, imigrantes germânicos trouxeram o seu teatro de títeres, o Kaspels Theater, também de luvas.

As apresentações mais antigas de teatro de marionetes, no Brasil, foram mencionadas no Rio de Janeiro, no século XVIII, por Luiz Edmundo, no livro “O Rio de Janeiro no Tempo dos Vice-Reis”. Em Pernambuco surgem as primeiras apresentações do Mamulengo.

Nas diferentes regiões brasileiras, o boneco de luva ou fantoche possui denominações diversas como: Briguela ou João Minhoca, em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro; Mané Gostoso, na Bahia; Mamulengo, em Pernambuco; e João Redondo, no Rio Grande do Norte e Paraíba.

.

Mamulengo

“Só pode brincar mamulengo se for poeta.
Se não for poeta não pode brincar”.
Mestre Luiz da Serra
Mamulengueiro de Vitória de Santo Antão (PE).

O Mamulengo é um teatro popular que teve sua origem em Pernambuco, bonecos de luva com técnicas de manipulação rápida e espetáculos populares, de improviso, com repentes e cordeis.

Apresentado em praças, feiras e ruas, em uma linguagem provocativa, debochada e irreverente, com repertórios inspirados diretamente nos fatos do cotidiano popular e interagindo com o público que participava e também construía o espetáculo. Os personagens mais conhecidos foram: a Quitéria, o Cabo, o Coronel, o Simão, o Cangaceiro, o Padre, o diabo e as almas penadas.

De acordo com Luís da Câmara Cascudo em seu “Dicionário do Folclore”, Mamulengo “é uma espécie de divertimento popular em Pernambuco, que consiste em representações dramáticas por meio de bonecos, em pequeno palco, alguma coisa elevado. Por detrás de uma empanada, esconde-se uma ou duas pessoas adestradas, e fazem que os bonecos se exibam com movimento e fala. A esses dramas servem ao mesmo tempo de assunto, cenas bíblicas e de atualidade. Tem lugar por ocasião das festividades da igreja, principalmente nos arrabaldes. O povo aplaude e se deleita com essa distração, recompensando seus autores com pequenas dádivas pecuniárias. Em outras regiões do país a “brincadeira” (como denominam os praticantes desta arte popular), adquire outras denominações como Babau, João Redondo, Cassimiro Côco etc“.

A etimologia do termo “mamulengo” é controversa, presume-se  que tenha origem na conjugação das palavras: mão e molengo, mão mole, mão que se move. A tradição ainda resiste no trabalho de diversos Mamulengueiros, principalmente nordestinos, que preservam essa forma popular de arte dramática, o Mamulengo: um teatro  popular, de riso e de deboche

Textos Relacionados:

Mamulengo: o Teatro de Bonecos Popular no Brasil
por Fernando Augusto
Grupo Mamulengo Só-Riso [PE]

BABAU: O Teatro do Capitão João Redondo
por Amanda de Andrade Viana e Jacqueline Alves Carolino

Transformações na Poética da Linguagem do Teatro de Animação
por Valmor Beltrame
CEART – UDESC

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 42 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: